Carlos Costa, remeteu para a CMVM as queixas



DECO avançou com uma ação administrativa contra o Estado