O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, considera que o primeiro-ministro está a adiar a resolução de um problema que precisa de uma resposta urgente e que só se resolve com a antecipação de eleições.

«O primeiro-ministro está a adiar a resolução de um problema, mas isto não se adia desta forma, porque não é benefíco para o país nem para a democracia portuguesa», disse o sindicalista à agência Lusa, depois de Passos Coelho ter anunciado que não aceitava a demissão de Paulo Portas nem se demitia.

O líder da UGT defendeu que a demissão do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, «precisa de uma resposta rápida».

«Urge que esta questão seja resolvida, dando a palavra aos portugueses em eleições antecipadas, porque não adianta manter o país ligado à máquina», declarou Carlos Silva.