UGT está «mais próxima» dos trabalhadores