O comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, disse esta quinta-feira que as previsões da Comissão Europeia que apontam para um crescimento económico de 1,7% este ano são "excelentes notícias" para Portugal.

"A taxa de crescimento do nosso Produto Interno Bruto (PIB) realmente foi multiplicada quase por dois, passa de 0,9 para 1,7”, afirmou Carlos Moedas, sublinhando que as previsões do desemprego também baixaram e que isso “são notícias positivas".

No entanto, o comissário europeu avisou, a exemplo do que fez o vice presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, ao anunciar hoje as previsões de outono, que a melhoria dos indicadores económicos "implica que Portugal continue a fazer reformas".

"Continue, efetivamente, a reformar a sua economia, a tentar fazer as reformas muitas vezes que chamamos estruturais e que as pessoas já estão cansadas da palavra. Mas são as reformas que podem fazer com que mais empresas venham para o Biocant [o parque de biotecnologia onde Carlos Moedas hoje iniciou o Roteiro da Ciência, no distrito de Coimbra], mais empresas venham para Portugal, que as empresas sintam que têm um ambiente à sua volta que lhes permite investir", declarou.

"No fundo, a economia é feita, exatamente, de criar essas expectativas positivas e hoje as notícias para Portugal são boas e penso que deveremos estar todos orgulhosos", frisou.

Carlos Moedas visitou hoje empresas ligadas à investigação científica e biotecnologia, para além de um centro de investigação em biologia celular e neurociência da Universidade de Coimbra, localizados no Biocant Park de Cantanhede, definido pelo comissário europeu como "um exemplo de ecossistema da inovação".

"Temos uma universidade, mas depois temos de ter empresas, temos de ter pessoas, temos de ter cientistas, temos de ter inovadores, temos de ter empreendedores", frisou Carlos Moedas, destacando o papel "muito único" do autarca de Cantanhede, João Moura, na projeção do Biocant Park.