O atual Governo conseguiu, em dois anos e meio, cumprir mais de 400 medidas de reforma, a uma média de três por semana, destacou esta sexta-feira o secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas.

«Cumprimos mais de 400 medidas de reforma contidas no memorando de entendimento, que assinámos com a União Europeia e com o Fundo Monetário Internacional. É mais ou menos o Governo ter a capacidade de adotar uma média de três medidas por semana», afirmou no IV Simpósio de Investimentos da Mercer Portugal, escreve a Lusa.

No final do evento, aos jornalistas, Carlos Moedas disse, no entanto, que mais importante do que este número é a importância de ter havido «mudança estrutural».

«Estas medidas são a construção da mudança da economia para um futuro e para um crescimento sustentado», afirmou.

O secretário de Estado destacou ainda o facto de a economia portuguesa ter crescido 1,6% no 4.º trimestre de 2013, face ao mesmo período de 2012, invertendo a tendência de contração homóloga registada há 11 trimestres, segundo os dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

«O importante é ver que todos os indicadores estão a apontar no mesmo sentido (¿), no caminho do crescimento e da saída da crise», disse Carlos Moedas.

Questionado sobre a presença da troika na próxima semana em Portugal, para a penúltima avaliação do programa de ajustamento português, Carlos Moedas lembrou que «o importante é que há um ano e meio atrás se duvidava que Portugal acabasse este programa».

«Como governante fico muito satisfeito de perceber que o que se discute agora é como vai ser a saída», acrescentou.