A TAP abriu concurso para recrutar 36 pilotos para iniciarem formação em dezembro e poderem estar operacionais no próximo verão, altura em que a frota da companhia também deverá ser reforçada com um ou dois aviões.

De acordo com o anúncio, as candidaturas estão abertas até 17 de outubro, seguindo-se o processo de seleção, prevendo-se que uma das turmas inicie formação logo no início de dezembro e a outra em janeiro, prolongando-se a formação por cerca de seis meses.

Em setembro, o presidente da TAP, Fernando Pinto, apresentou ao Governo o plano da companhia aérea para não incorrer nas perturbações que este verão afetaram a operação, que passava pelo reforço da frota para ter aviões de reserva em momento de picos de procura e pela formação de «mais uma turma de pilotos».

Mas, em vez de uma, a TAP vai avançar já com o recrutamento para a formação de duas turmas, de 18 pessoas cada uma, com o intervalo de um mês, adiantou à Lusa fonte oficial da transportadora nacional.

Na semana passada, Fernando Pinto reafirmou no parlamento que o atraso na formação de pilotos foi a principal causa das perturbações deste verão, tendo sido a causa de 227 cancelamentos nos meses de junho e de julho.

O gestor justificou este atraso no calendário da formação de pilotos com uma alteração das regras do Instituto Nacional de Aviação Civil, que passou a exigir que os formadores passassem a ter mais seis meses de formação.

Assim, a TAP não teve os tripulantes necessários para corresponder ao reforço de 11 novas rotas lançadas em junho em julho, o que obrigou ao cancelamento de voos e ao fretamento de aviões a outras companhias.