O antigo líder do CDS-PP e ex-vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, foi esta quarta-feira eleito vice-presidente da Câmara de Comércio, cargo que, de acordo com a instituição, tem duração de três anos e não é remunerado.

A Câmara de Comércio anuncia em comunicado que nas eleições que decorreram hoje Paulo Portas foi eleito vice-presidente da Câmara de Comércio, iniciando “de imediato as novas funções”.

“O exercício de cargos em qualquer órgão social da Câmara de Comércio não é remunerado”, acrescenta o mesmo comunicado.

“Aceitei com gosto esta vice-presidência da Câmara de Comércio porque é uma forma muito útil de continuar a ajudar a internacionalização das empresas e o setor exportador, que são os pilares do nosso crescimento”, refere Paulo Portas, citado na nota.

Segundo o ex-líder do CDS-PP, esta é “uma instituição muito respeitada e credível cujo trabalho prático, a favor das empresas portuguesas” é centrado “na diplomacia económica e na promoção externa de Portugal”.

“Destaco em especial a qualidade do trabalho feito nesta casa junto das Câmaras de Comércio portuguesas em todo o mundo. Contam portanto com o meu empenhamento”, refere ainda o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros.

Bruno Bobone, que foi reeleito presidente da Câmara de Comércio, considera que a eleição significa a intenção do antigo governante de “continuar a contribuir ativamente para o desenvolvimento económico de Portugal e, muito especialmente, para o crescimento da sua internacionalização”.

O presidente da instituição refere ainda que a Câmara "terá que estar preparada para justificar a colaboração de uma das pessoas que mais fez nos últimos anos no que respeita ao apoio dado aos empresários portugueses, tanto em Portugal como a nível internacional”.

No domingo, à entrada para o último dia do congresso do CDS-PP, no qual deixou de ser líder, Paulo Portas tinha dito que já sabia o que iria fazer no futuro relativamente à sua vida profissional, apesar de não o ter revelado.

“Estou a preparar uma vida profissional que não depende só de mim. Haverá um momento em que eu vos direi o que vou fazer. São várias coisas, saberão tudo no momento certo”, disse na ocasião.