O ministro da Economia considerou que o pré-acordo alcançado na Autoeuropa mostra que "há espaço para o diálogo entre trabalhadores e administração da empresa e que é importante continuar a trabalhar para que seja vista como bom exemplo".

À margem do lançamento do Observatório da Energia, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, Caldeira Cabral defendeu que o pré-acordo entre a Comissão de Trabalhadores e administração da Volkswagen Autoeuropa "mostra a responsabilidade que os trabalhadores souberam ter e a abertura que a administração mostrou ter".

A Autoeuropa e a Comissão de Trabalhadores acordaram um aumento salarial de 3,2% retroativo a 01 de outubro passado, divulgou em comunicado na quarta-feira a estrutura representativa dos trabalhadores.

O aumento salarial de 3,2% a aplicar às tabelas salariais implica um mínimo de 25 euros, no caso em que o valor nominal do aumento fique abaixo.

Ainda no quadro das negociações entre a Comissão de Trabalhadores e a administração da Volkswagen Autoeuropa foi aprovado o "pagamento de uma gratificação de 100 euros ou 200 euros em abril de 2018 conforme a antiguidade" do trabalhador.