O catalão CaixaBank, o acionista do BPI que lançou uma oferta para ficar com a maioria do capital do banco liderado por Fernando Ulrich, tem em marcha um plano de redução de pessoal em Espanha.

De acordo com o jornal espanhol Diário de Navarra, que cita os sindicatos, o plano, datado de 29 de julho, inclui rescisões amigáveis e deslocalização de trabalhadores no país – para outras empresas do grupo - com vista a reduzir o excesso de funcionários que a aquisição de várias instituições financeiras pelo CaixaBank provocou.

Fontes sindicais, dizem que o número de trabalhadores excedentários ascende a 1.119, dos quais metade em Madrid (361) e Sevilha (244), após a integração do Barclays e do Banca Cívica. A que se seguem os cortes em Valência (87) e Navarra (74).

Segundo o mesmo jornal, o banco não confirma o valor total de pessoas a dispensar que diz depender não só do número de colaboradores que se voluntariem para sair, como da forma como forem aceites as outras medidas previstas nesta reestruturação e quadros. 

Em Portugal, e caso vingue a Oferta Pública de Aquisição sobre o BPI, o número de despedimento pode ascender a mil colaboradores. Um número que, em maio, apanhou os sindicatos de surpresa e ao qual se deve subtrair a saída de 250 trabalhadores que já tinha sido anunciada pela administração portuguesa este ano.