O ministro das Finanças português, Mário Centeno, disse esta terça-feira em Nova Iorque que o Governo quer que o processo de capitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) aconteça num prazo curto e sem impacto no défice.

Essas questões “dependem das características mais ou menos mercantis que o processo tenha. Ou seja, se for ou não um processo lidado em termos de mercado. Queremos que seja exatamente nesse contexto. A ideia é que, se assim for, a injeção de capital é uma injeção financeira e não tenha impacto no défice", explicou o ministro, que está nos Estados Unidos para participar num fórum internacional sobre relações económicas entre os dois países, que decorreu segunda-feira.

De acordo com o governante, Portugal está a negociar com a Comissão Europeia uma recapitalização, porque o banco do Estado precisa de cumprir rácios de solvabilidade impostos pelas autoridades europeias.