Os novos pensionistas da Caixa Geral de Aposentações (CGA) aumentaram 4,2% no primeiro semestre deste ano face ao período homólogo, mas o valor médio das novas pensões caiu 3,7% na primeira metade do ano, segundo as contas do CFP.

De acordo com um relatório hoje publicado pelo Conselho de Finanças Públicas (CFP) sobre a execução orçamental da Segurança Social e da CGA até junho, a entidade liderada por Teodora Cardoso indica que, neste período, a CGA apresentou um excedente acumulado de 240 milhões de euros, um resultado que o CFP considera ser "uma melhoria significativa face ao período homólogo" e que se deveu ao "comportamento favorável da receita".

A receita efetiva da CGA aumentou 233 milhões face ao período homólogo, mas isto é explicado pelo reforço da comparticipação do OE em 258 milhões de euros, ao passo que a despesa "cresceu a um ritmo inferior ao da receita, encontrando-se 142 milhões de euros acima do valor observado em junho de 2014".

O CFP refere que o ritmo de crescimento da despesa da CGA entre janeiro e junho está "próximo do esperado para o conjunto do ano", tendo aumentado 3,2% face ao período homólogo, um comportamento que "reflete essencialmente a evolução da despesa com pensões pagas".

Para este aumento da despesa com pensões na CGA, contribuiu "o crescimento médio do número total de pensionistas em 4,2%", um impacto que foi, contudo, atenuado, por exemplo, pela queda do valor médio das novas pensões de aposentação atribuídas.

"Com efeito, o valor médio das novas pensões de aposentação atribuídas entre janeiro e junho de 2015 diminuiu 3,7% face ao mesmo período de 2014, fixando-se em 1.199,80 euros por mês", lê-se no relatório do CFP.