Os advogados e agentes de execução que não paguem as contribuições para a Caixa de Previdência vão passar a ser alvo de cobranças pelo Fisco, como se de um imposto atrasado se tratasse.

Segundo o Diário de Notícias, o objetivo é o de recuperar o valor em dívida à Segurança Social, que ascendia a 120 milhões de euros em dezembro de 2014, mais nove milhões de euros do que o registado no final de 2013.

O Fisco vai também passar a cobrar os valores de taxas e quotas que os membros das ordens profissionais não paguem, uma orientação que vem inscrita num ofício de 29 de outubro.