O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, saudou hoje em Bruxelas o acordo entre Parlamento Europeu e Conselho, alcançado na véspera, sobre o mecanismo único de resolução bancária, destacando o papel da eurodeputada portuguesa socialista Elisa Ferreira.

Falando no final de uma cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia, Passos Coelho lembrou que «Portugal tinha manifestado o seu regozijo por ter havido consenso» ao nível do Conselho, mas lamentando que «não tivesse sido possível ir mais longe», manifestando por isso satisfação por o novo compromisso ir mais de encontro às pretensões portuguesas.

«Felizmente, foi possível atingir com o Conselho e o Parlamento Europeu um acordo que julgamos que não só ocorre dentro do prazo que estava estabelecido, como reflete um entendimento mais positivo ainda do que aquele que tinha sido obtido ao nível do Conselho Europeu», comentou.

O primeiro-ministro fez questão de «salientar o papel muito relevante que, do lado do Parlamento Europeu, foi conduzido por uma deputada portuguesa, Elisa Ferreira, com a qual o Governo português colaborou de uma forma muito próxima e com bons resultados».

«Não há uma solução mágica que termine com a situação de fragmentação financeira», que afeta sobretudo os países da periferia, como Portugal, «mas demos um passo muito importante para acelerar tudo o que são mecanismos que nos permitirão combater essa fragmentação», disse.