A Comissão Europeia colocou a Irlanda sob vigilância reforçada devido a desequilíbrios macroeconómicos excessivos verificados no país, que acabou de sair do programa de assistência da troika.

Para além da Irlanda, outros 16 Estados-membros foram visados por Bruxelas.

No que respeita à Irlanda, que acabou de sair do programa de ajustamento da troika, a Comissão Europeia considerou que «os desequilíbrios macroeconómicos remanescentes requerem monitorização específica e ação política decisiva».

A CE vai avançar com um acompanhamento específico das políticas aplicadas em Dublin e reportará regularmente aos ministros das Finanças da UE e da zona euro (Eurogrupo).

A Comissão Europeia apontou esta quarta-feira, no âmbito do «mecanismo de alerta de desequilíbrios macroeconómicos», 17 Estados-membros cuja situação merece «análise aprofundada»: Alemanha, Bélgica, Bulgária, Croácia, Dinamarca, Eslovénia, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Hungria, Itália, Irlanda, Luxemburgo, Malta, Suécia e Reino Unido.

Portugal, por ainda estar sob o programa de assistência da troika é excluído deste exercício.