A cadeia de brinquedos anunciou, ao início da tarde, a declaração insolvência da Toys R Us Iberia Real Estate no mercado ibérico, após as insolvências anunciadas e fecho das lojas no Reino Unido e Estados Unidos da América (EUA). Ao final do dia, retificou a informação, dizendo que solicitou "uma assembleia de credores" para "tentar garantir a sua viabilidade em Portugal e Espanha". Ou seja, para tentar ainda escapar à insolvência.

Com esse objetivo, a Toys R Us Iberia Real Estate SLU, sociedade detentora de 26 propriedades do Grupo, solicitou, junto dos Tribunais de Madrid, uma assembleia de credores para avaliar a eventual aquisição do Grupo em Espanha e Portugal".

O comunicado inicial indicava que a Toys R Us Iberia Real Estate SLU, sociedade detentora de 26 propriedades do grupo, solicitou, junto dos tribunais de Madrid, uma declaração de insolvência"

Fonte oficial esclareceu à TVI24 que "a marca não está insolvente", nem vai fechar lojas. É preciso esperar por essa assembleia de credores para perceber o futuro do negócio em Portugal e Espanha: se é aprovado um plano de recuperação da empresa com apoio dos credores ou, caso isso não aconteça, aí sim, o destino poderá ser a insolvência.

As restantes empresas do Grupo Toys"R"Us Iberia mantêm as suas atividades com normalidade e iniciaram os procedimentos necessários para atrair as partes interessadas na aquisição do grupo em Espanha e Portugal. Todas as lojas, de ambos os países, permanecem abertas com absoluta normalidade".

A Toys R Us Ibéria é uma empresa multinacional na distribuição de brinquedos e produtos infantis em Espanha. Com uma rede de 53 estabelecimentos, a equipa excede os 1.600 funcionários. Portugal acolheu a Toys R Us em 1993, com lojas em Telheiras e Vila Nova de Gaia. E, desde então, mais uma em Lisboa – no centro comercial Colombo – e as restantes em Cascais, Braga, Almada, Aveiro e Guimarães.

Os processos de insolvência, no Reino Unido e EUA, já se arrastavam há meses. Na passada semana o grupo comunicou, o encerramento de cerca de 800 lojas nos dois países.

Ao mesmo tempo que comunicou estar em fase de “reorganização e venda das suas operações no Canadá, Ásia, Alemanha, Áustria e Suíça", segundo o comunicado citado pela Lusa na ocasião.