A economia do Reino Unido teve, em 2017, o crescimento mais lento desde 2012. O Produto Interno Bruto aumentou 1,8%, contra 1,9% no ano anterior, segundo dados da agência de estatística britânica. Uma expansão com o ritmo mais baixo dos últimos cinco anos. O Brexit concretiza-se daqui a pouco mais de um ano.

A agência de estatística britânica (ONS, Office for National Statistics) deu a conhecer este dado quando anunciou o primeiro cálculo do quarto trimestre de 2017, no qual o Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido cresceu 0,5% no último trimestre de 2017 face ao mesmo período de 2016. 

O crescimento do PIB desafiou as estimativas de alguns analistas, que tinham antecipado um possível recuo devido ao inesperado encerramento temporário, em dezembro passado, do oleoduto Forties no Mar do Norte, que resultou numa diminuição da produção industrial.

A ONS mostrou-se cautelosa em relação ao dado positivo do PIB relativo ao quarto trimestre e alertou para uma desaceleração económica em relação às tendências daquele indicador a longo prazo.

"Apesar de uma ligeira aceleração neste último trimestre, a imagem subjacente é de um crescimento mais lento e desequilibrado da economia", afirmou hoje o responsável do PIB da ONS, Darren Morgan.

O impulso da economia no fim do ano procedeu de uma série de serviços, incluindo os das agências de recrutamento de pessoal, dos agentes imobiliários e das gestoras de escritórios".

Outros, em particular os serviços relacionados com o consumidor, registaram um crescimento "muito mais lento" enquanto o setor manufatureiro aumentou de "forma sólida, apesar do setor da construção ter voltado a cair".

Concretamente, a indústria manufatureira expandiu-se 0,6% no último trimestre, apesar deste acréscimo ter sido compensado pela "significativa" queda na extração petrolífera e de gás motivada pelo citado incidente de dezembro no Mar do Norte.