A libra afundou, as bolsas asiáticas, as únicas que estavam a funcionar, a mesma coisa. Pânico foi a primeira reação dos mercados ao Brexit, dado que 51,9% dos britânicos votaram a favor da saída do Reino Unido da União Europeia. O resultado foi um balde de água fria, uma vez que os investidores estiveram esta semana com a expectativa contrária, a de manutenção no bloco dos 2.  

A moeda britânica colapsou para o seu valor mais baixo desde 1985, ao cair para 1.3466 dólares. É o valor mais baixo em três décadas e maior queda de sempre em percentagem, rondando os 10%.

A praça de Tóquio perdeu mais de 8%, com as ações das principais empresas, como a Toyota e a SoftBank, a caírem a pique.  O segundo indicador da bolsa japonesa, o Topix, também acusou semelhante desvalorização. 

Nos mercados petrolíferos, nervosismo também é a palavra de ordem. O preço do barril de petróleo Brent já caiu hoje 6,5%, abaixo dos 47,50 dólares por barril.

Mais de 14 milhões de votos foram expressos em apoio à saída do bloco (a rondar 52%), enquanto 13 milhões preferiram a continuidade (48%).

Os analistas já previam que se o sim à saída do Reino Unido ganhasse, o pânico instalar-se-ia. No continente asiático, a reação não se fez esperar. Na Europa, atenções concentradas para as 08:00, com a abertura das bolsas.