O presidente do Banco BPI, Fernando Ulrich, considerou esta quarta-feira que qualquer que seja o partido que vença as próximas eleições legislativas, o exemplo grego demonstra que a sua margem de manobra para evitar as políticas de austeridade é limitada.

"Conheço mal a Grécia mas, se alguma coisa retiro do que se tem estado a passar na Grécia é que a margem de manobra do Governo português, seja ele qual for, é limitada", lançou o gestor durante a apresentação das contas semestrais do banco.

De resto, Ulrich desvalorizou o impacto das eleições legislativas que se aproximam, sublinhando que Portugal vive já há 40 anos em democracia.

"Já vivemos tanta coisa. Há eleições em outubro, o Natal em dezembro e o Carnaval em fevereiro", atirou o líder do BPI.

Questionado sobre se o assusta a possibilidade de haver um Governo liderado pelo Partido Socialista (PS), Ulrich, que já revelou por diversas vezes que costuma votar no Partido Social Democrata (PSD), disse que tal hipótese não o assusta "nada".

E vincou: "Venham as eleições e venha o Governo que for".