O presidente do Banco BPI admitiu hoje a sua perplexidade face ao elevado financiamento que o BES deu ao BES Angola, durante anos a fio, considerando que, sem esta questão, poder-se-ia ter evitado a intervenção do Banco de Portugal.

«Em dezembro de 2007, o BES [Banco Espírito Santo] tinha um crédito sobre o BESA [BES Angola] de 25 milhões de dólares [cerca de 19,7 milhões de euros]. Era uma situação perfeitamente normal. Mas em 2008 essa exposição subiu para mais de dois mil milhões de euros», afirmou Fernando Ulrich na apresentação de resultados do Banco BPI, em Lisboa.

Ulrich realçou que, desde então, «a exposição do BES ao BESA foi subindo até mais de quatro mil milhões de euros» e que se manteve constantemente em níveis muito elevados.