Os mercados acionistas norte-americanos iniciaram esta segunda-feira a semana em alta, animados com fusões entre empresas e confiantes de que o otimismo dos bancos centrais venha a suportar o crescimento global, nota a Lusa.

Pelas 14:40 (hora de Lisboa), o índice industrial Dow Jones subia 1,37% para 17.956,09 pontos, depois de na sexta-feira ter subido 0,19%, e o tecnológico Nasdaq avançava 0,86% para 4.933,50 pontos, após uma valorização de 0,57% na sessão anterior.

O índice alargado S&P 500, onde estão representadas as 500 maiores empresas e que é considerado o mais representativo por muitos investidores, iniciou a sessão a ganhar 0,7% para 2.075,87 pontos.

Os títulos da Horizon Pharma subiam 15% depois de ter anunciado que iria comprar a Hyperion Therapeutics, enquanto a Catamaran Corp valorizava 25%, depois de a UnitedHealth Group ter acordado a sua compra.

Na sexta-feira, a presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed), Janet Yellen, afirmou que o banco central deverá aumentar as taxas de juro este ano, enquanto o responsável pelo banco central chinês disse que o governo pode fazer mais para suportar o crescimento na segunda maior economia mundial.

Sensivelmente à mesma hora da abertura de Wall Street, as principais bolsas europeias seguiam em alta, oscilando entre os ganhos de 0,23% da bolsa portuguesa (PSI20) e os 1,34% de Frankfurt (DAX).

A bolsa portuguesa seguia nos 6.025,83 pontos, a progredir 0,23%, impulsionada pelos ganhos de 1,13% dos CTT, para os 9,891 euros.

Dos 18 títulos cotados na praça portuguesa, oito seguiam em alta - com sete títulos a valorizar abaixo dos 1% -, o Banif e a Galp Energia estavam inalterados, e os restantes oito negociavam em terreno negativo.

Do lado das perdas, a Portugal Telecom SGPS perdia 1,65% para 0,595 euros, seguida da Portucel, que desvalorizava 1,03% para 4,147 euros.

Os títulos da Jerónimo Martins, da Semapa, da EDP, da Altri, do BPI e da Impresa seguiam no vermelho, com perdas inferiores a 1%.