O PSI20, principal índice da bolsa portuguesa, subiu, nesta segunda-feira, 0,54% para 5.746,51 pontos, com a Semapa a valorizar mais de 6%, em linha com uma Europa incólume ao  tombo da bolsa grega.

Dos 18 títulos cotados no índice, 13 encerraram em terreno positivo e cinco no vermelho. A Semapa liderou os ganhos, ao avançar 6,74% para 13,145 euros, seguida da Portucel e da Sonae, que valorizaram 2,59% (3,565 euros) e 2,30% (1,292 euros), respetivamente.

A banca encerrou sem tendência definida, tendo o BPI subido 1,07% e o Banif ganho 1,64%, enquanto o Millennium BCP perdeu 1,43%.

A impedir maiores ganhos do índice estiveram ainda os pesos-pesados Jerónimo Martins e Galp Energia, com quedas de 0,07% e 1,99%, respetivamente.

No regresso à negociação, após cinco semanas encerrada, Atenas fechou com uma queda de 16,23%, naquela que foi a pior performance diária dos últimos 30 anos. O setor da banca, que representa cerca de 20% do índice grego, foi o mais castigado, tendo afundado o máximo limite de 30%.

A queda da bolsa grega não contagiou, porém, o resto da Europa, que fechou com ganhos de até 1,13% em Fankfurt. A suportar estes ganhos estiveram os resultados anunciados pelos bancos Commerzbank e HSBC e pela produtora de cerveja Heineken.

No entanto, arrastado pelos maus resultados na Grécia, o euro caiu 0,22% face ao dólar para os 1,0962 dólares.