A Galp ainda travou mais ganho do PSI20 mas agora já negoceia em alta.

A petrolífera cresce 0,3% para 13,415 euros e segue a tendência do setor, embora o dia esteja a ser marcado por uma baixa no preço da matéria-prima – crude – nos mercados internacionais.

O principal índice nacional, que na abertura caiu 0,06% para 4,698.41 pontos, já ganha 1,09% para 4.752,26 pontos, a seguir as congéneres da Europa. Enquanto os juros soberanos aliviam após a Fitch ter mantido inalterado o 'rating' de Portugal, segundo os analistas citados pela Reuters.

Na sexta-feira, a agência de notação financeira manteve a cotação de longo prazo da dívida portuguesa em território de 'lixo', 'BB+', e perspetiva estável, alertando para o elevado endividamento do país, fraco crescimento e problemas no sistema financeiro.

Em Lisboa, a banca e as ações do grupo Sonae – Sonae e Sonae Capital fazem a diferença.

O BCP já voltou a passar a fasquia dos 0,018 euros por título e sobe 2,84%. Já o BPI cresce 1,44% para 1,127 euros e o Montepio segue neutro em 0,474 euros. Isto num dia em que o Negócios noticia que a Comissão Europeia já aceitou a extensão, por várias décadas, do prazo para o Fundo de Resolução absorver as perdas no Novo Banco. Um que, segundo o jornal, é uma das exigências da Fosun para entrar no BCP e permite ao Estado capitalizar a Caixa na lógica de um privado.

A vencedora da manhã é mesmo a Sonae. Sobe 4,86% para 0,773 euros, apesar de a empresa ter apresentado queda de 21% nos lucros do semestre. Um resultado líquido de 77 milhões de euros, penalizado pela quebra dos resultados indiretos e pela pressão nas margens do retalho alimentar, mas que, mesmo assim, ficou acima das previsões dos analistas. Além disso, os analistas continuam a acreditar que o título negoceia com forte desconto, ou seja, há potencial de subida.

Segundo a Reuters, o Haitong Research vê como muito provável que a Sonae mantenha inalterada a distribuição de um dividendo de 0,0385 euros por ação, oferecendo um 'dividend yield' muito próximo de 6%, após a empresa ter dito que manterá a política de dividendos estável.

A Sonae está também a puxar para cima a Sonae Capital que valoriza 3,02% para 0,648 euros.

Quem volta a brilhar é também a Corticeira Amorim que ganha 1,57% para 8,335 euros.