O PSI20, principal índice da bolsa lisboeta, encerrou esta sexta-feira a perder 1,78% para 7.306,36 pontos, em linha com as principais praças europeias, apesar da agência de notação financeira S&P ter melhorado a perspetiva da dívida nacional.

Dos 20 títulos cotados no índice, 16 encerraram em terreno negativo, três a valorizar (Jerónimo Martins, CTT e Galp Energia) e um manteve-se inalterado (Banif).

O setor da banca foi um dos responsáveis pelo comportamento da bolsa de Lisboa, com o BES a perder 5,13% para 1,22 euros e o BCP a cair 4,31% para os 0,20 euros. Também o BPI desvalorizou 2,44% para os 1,76 euros.

Do lado das perdas, destaque para os «pesos pesados» EDP, que perdeu 2,46% para os 3,48 euros, e para a Portugal Telecom (PT) que desvalorizou 2,26% para 2,98 euros.

Também a EDP Renováveis perdeu terreno, ao recuar 1,34% para os 4,93 euros, no dia em que a empresa anunciou uma queda no lucro de 27% no primeiro trimestre deste ano, face ao mesmo período de 2013, para 66 milhões de euros.

Os principais índices europeus fecharam a semana no vermelho, com Londres a perder 0,36%, Paris 0,66% e Madrid 0,98%.

A agência de notação Standard & Poor¿s anunciou ter passado a perspetiva da classificação da dívida portuguesa de «negativa» para «estável», explicando a decisão com o facto de a economia de Portugal ter ultrapassado as expetativas.

A agência de rating manteve, no entanto, a classificação de Portugal em «BB», o que significa que continua a considerar que a capacidade de Portugal pagar as suas dívidas como «lixo».

A decisão da Standard & Poor¿s segue a que já tinha sido tomada pela Fitch em abril, faltando apenas conhecer a da terceira agência de rating entre as três grandes, a Moody¿s, também anunciada para hoje.