Os juros da dívida nacional estão a aliviar, depois de ontem terem sido pressionados pela Grécia, já que houve uma importante reunião do Eurogrupo a propósito do terceiro resgate grego. Portugal ressente-se sempre que há desenvolvimentos em Atenas, que foi alvo do primeiro resgate europeu, ao qual Lisboa também sucumbiu um ano depois, em 2011.

Embora atualmente a pressão não seja tanta como no passado recente, ainda assim ontem os juros da dívida nacional a 10 anos, aqueles que são mais referenciados no mercado, alcançaram máximos de três meses. Fecharam nos 3,324%, mas hoje estão já a aliviar, tendo já caído vários pontos base para 3,251%.

As obrigações a 10 anos da Grécia estavam a pagar um juro de 8,338% no fecho do mercado, mas hoje já chegou a baixar para 7,752%. O Eurogrupo espera que o acordo final seja alcançado dia 24 de maio, daqui a duas semanas, tendo aberto a porta à discussão do alívio da dívida, depois de pedida mais austeridade ao governo de Tsipras.

Bolsas em alta, Corticeira Amorim destaca-se em Lisboa

Entre os mercados acionistas, o sentimento é igualmente positivo - e em todas as praças europeias. Milão e Madrid ganham até mais de 1%. Lisboa, menos, mas ainda assim PSI20

A estrela da sessão é a Corticeira Amorim, que apresentou resultados esta manhã: o lucro disparou praticamente 65% para 14 milhões de euros entre janeiro e março, o que bateu todas as estimativas, e está a refletir-se no desempenho das ações, que valorizam 2,4% para 6,44 euros.

Com o mercado das matérias-primas a recuperar, e o barril de Brent - aquele que serve de referência para Portugal, a cotar acima dos 44 dólares, a Galp está hoje a corrigir das fortes perdas da primeira sessão da semana, trepando 2% para 11,88 euros certos.

A Sonae e os CTT, que apresentam resultados quarta e quinta-feira, respetivamente, sobem 0,7% e 0,4%, para 0,944 euros e 8,03 euros. O lucro dos CTT poderá ter caído 20% segundo as estimativas. A ver vamos.

Pela negativa, o destaque vai para o BCP, que continua em maré de perdas, caindo hoje 0,6% para 0,0336 euros.

Quanto a dados sobre a economia portuguesa, o dia ficará marcado pelos números das exportações e importações em março– que serão divulgados ainda da parte da manhã