A negociação das ações da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) foi suspensa na bolsa de Milão esta quinta-feira, após uma queda de 8%, na sequência de uma denúncia que acusa a construtora de manipular as vendas de automóveis nos Estados Unidos.

O relatório que deu seguimento à ação judicial surge por parte de dois concecionários da marca em Chicago, que alegam que a empresa lhes ofereceu dinheiro para dar veículos não vendidos como vendidos, segundo a Automotive News.

Um porta-voz da FCA, nos Estados Unidos, disse à Automotive News que não podia comentar a situação porque ainda "não tinha conhecimento da ação judicial". Segundo a mesma agência noticiosa, a ação alega que os funcionários da Fiat estavam conscientes de estar a falsear vendas, mas que os gerentes locais eram recompensados por atingirem as metas de vendas.

Quatro meses após o escândalo das emissões da Volkswagen, a notícia surge “num mau momento”, segundo a Reuters que cita o porta-voz do banco italiano de investimento Mediobanca, que acrescenta ainda que “os investidores estão nervosos com o mercado automóvel”.