A Bolsa de Lisboa encerrou esta quarta-feira com mais uma subida, a ser puxada pela negociação da Pharol e do Millennium BCP, mas também a acompanhar a tendência das praças europeias, que negociaram em máximos do último mês. O índice PSI 20 ganhou 0,64%, para 5.496,77 pontos.

A Pharol foi a estrela da sessão, com os títulos a dispararem 23,649%, para os 36,6 cêntimos por ação, naquela que foi a segunda maior valorização da história da empresa. A Pharol anunciou ontem a intenção de avançar com um plano de compra de ações próprias, representativas de até 7,7% do seu capital, para remunerar os seus acionistas.

A empresa beneficiou também de notícias de uma nova onda de consolidação no Brasil entre a sua participada OI e a TIM. A Pharol detém 27,5% da brasileira OI.
 

BCP valorizou 47% em seis sessões

 
O Millennium BCP foi a outra estrela da sessão desta quarta-feira. Há seis sessões consecutivas que o BCP sobe em bolsa e, depois da subida de 1,495% de hoje,  já acumula uma valorização de 47%. Esta quarta-feira o banco chegou a estar a ganhar mais de 5% e negociou cerca de 525 milhões de ações.

O BCP está a beneficiar de uma sustentada recuperação técnica, mas também das notícias que envolvem a Pharol, já que o banco se tornou um dos grandes acionistas da empresa quando ficou com a posição antes detida pela Ongoing.

Todo o setor da banca teve um dia muito positivo. O BPI ganhou 4,469%, depois do presidente Fernando Ulrich se ter mostrado confiante na aprovação, pelos acionistas, da cisão do BFA, o participado angolano. O Banif também registou ganhos nesta sessão, de 2,632%.

A Galp foi outro dos títulos a valorizar na sessão desta quarta-feira, ganhou 3,109%, por causa da subida dos preços do petróleo nos mercados internacionais.

Destaque ainda para as valorizações do sector da construção, com a Mota-Engil a ganhar 3,042% e a Teixeira duarte 2,796%.