A Bolsa de Lisboa liderou as quedas da Europa nesta sexta-feira, num dia de tendência indefinida entre as principais bolsas do velho continente. O ìndice PSI 20 perdeu 0,81% para 5.308,10 pontos, arrastado pela forte queda da Galp, mas também pela desvalorização da banca e da construção.


GALP desvaloriza 5%


Os títulos da Galpenergia desvalorizaram 5,087%, para 9,553 euros por ação, depois de conhecida a venda, pela italiana ENI, da participação que ainda detinha na companhia portuguesa. A ENI anunciou a venda de mais de 33 milhões de ações a 9,81 euros por ação a investidores institucionais, encaixando um valor próximo dos 325 milhões de euros.

Os títulos da Galp terminam a semana a inverter de uma tendência positiva que foi alimentada pela descoberta de petróleo no poço de Pitu, no norte do Brasil.


Banca inverte tendência positiva


A contribuir para a queda da bolsa nacional estiveram também os títulos da banca, liderados pelo BCP. O Millennium BCP perdeu esta sexta-feira 3,755%, no que foi seguido pelo Banif, que caiu 4%, e pelo BPI, com um recuo de 1,21%.

Os títulos da banca terminam a semana no vermelho depois de terem estado grande parte da semana a ganhar terreno, a beneficiar dos resultados dos testes de stress do Novo Banco, que identificaram necessidades de capital de 1400 milhões de euros, abaixo do previsto pelos analistas.

A terminar a semana em terreno negativo esteve também a Mota-Engil, com uma perda de 3,6%. A empresa foi penalizada, pela segunda sessão consecutiva, pela queda de 68% dos lucros no terceiro trimestre de 2015, face ao período homólogo, para 16 milhões de euros, por causa do desempenho em África.