As 300 pessoas mais ricas do mundo perderam 33 mil milhões de dólares na última semana, a maior queda desde abril, de acordo com os dados compilados pela agência financeira Bloomberg, com base no valor dos ativos destes bilionários.

A contrariar a tendência da lista estava o mexicano Carlos Slim, que conseguiu adicionar 4,4 mil milhões de dólares à sua fortuna depois de anunciar um plano para diminuir a dimensão da America Movil, a maior operadora de telecomunicações nas Américas, com 272 milhões de subscritores, para evitar ser atingido pela legislação contra abuso de posição dominante no mercado.

Slim e a sua família detêm 57% da America Movil, e a sua fortuna de 76,2 mil milhões de dólares tornam-no a segunda pessoa mais rica do mundo, atrás do fundador da Microsoft, Bill Gates.

Outro dos bilionários que conseguiu fugir à tendência foi o Príncipe saudita Alwaleed bin Talal, que aumentou a sua fortuna em 1,3 mil milhões de dólares, na mesma semana em que o britânico Telegraph noticiou que a Eurodisney, na qual o príncipe saudita tem uma participação de 10%, vai aumentar as receitas em 44 milhões de dólares só devido à nova diversão, que abriu na quinta-feira.

A generalidade dos bilionários cujo valor de mercado é seguido pela Bloomberg apresentou uma queda no valor.

Todas as semanas, a Bloomberg contabiliza o valor de mercado dos ativos de cada uma das 300 pessoas mais ricas do mundo e elabora um ranking.