O antigo presidente do Banco Espírito Santo deixou de estar sob prisão domiciliária há alguns meses.

O juiz Carlos Alexandre determinou agora que, nos próximos 30 dias, Ricardo Salgado terá de se apresentar não em Cascais, mas sim na GNR da Comporta, onde irá passar férias. 

A decisão foi tomada depois de um pedido dos advogados de defesa do antigo banqueiro.