A Rioforte Investments, uma holding da família Espírito Santo, pretende avançar com um pedido de protecção contra credores, segundo uma fonte próxima do processo, citada pela agência de notícia financeira Bloomberg.

A Rioforte, que tem até esta terça-feira para reembolsar um empréstimo de 847 milhões de euros à Portugal Telecom (PT), vai entregar o pedido de proteção nos tribunais do Luxemburgo, onde tem sede, adiantou a mesma fonte, que pediu para não ser identificada.

As ações do Banco Espírito Santo (BES) fecharam esta terça-feira a cair quase 15%, pela sétima sessão consecutiva, fixando-se nos 0,38 euros, o valor mais baixo de sempre.

Os investidores estão preocupados com os efeitos dos problemas financeiros do grupo Espírito Santo sobre o BES e com as potenciais perdas.

A Rioforte detém uma participação de 49% na Espírito Santo Financial Group (ESFG), que, por sua vez, detém 20% do BES.

Os jornais económicos têm avançado a possibilidade de a PT acordar com a Rioforte o adiamento do reembolso da dívida, mas a notícia ainda não teve confirmação oficial.

As ações da operadora de telecomunicações também oscilaram hoje de modo significativo e fecharam a perder 2,14% face aos receios de que a dívida da Rioforte atrapalhe a fusão com a brasileira Oi.

O ministro das Comunicações brasileiro afirmou na segunda-feira à noite que a situação da Portugal Telecom (PT) poderá levar o Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES) a rever a sua posição como parceiro da operadora portuguesa.

«Eu já vi o BNDES a dizer que, com certeza, quer rediscutir os termos da fusão [da PT com a brasileira Oi, cujo o processo está a decorrer]», afirmou o ministro Paulo Bernardo, à saída da apresentação do balanço do Governo sobre a realização do Campeonato do Mundo de Futebol, que este ano decorreu no Brasil, citado pela Bloomberg.

O BES detém uma participação de 10,05% no capital da PT.