«Do seu conhecimento, Zeinal Bava tinha uma gestão macro ou era de se envolver minuciosamente nas empresas?»

Granadeiro hesitou antes de responder, mas acabou por dar razão à convicção dos deputados de que Bava não disse tudo o que sabia.

 

«Não me faça essa maldade… Eu trabalhei com Zeinal Bava em situações diversas. Ele é um gestor de mão muito em cima das coisas… Tem uma capacidade de trabalho invulgar e uma capacidade de construir equipas extraordinária».

O ex-presidente da PT acabou por referir que ambos tinham «defeitos compatíveis» e, por isso, nunca tiveram «problemas de relacionamento». 

Fernando Negrão acabou por concluir, então, que a comissão de inquérito ficou «muito mais satisfeita» com esta e outras repostas do que com as dadas na audição de Bava.

Granadeiro pediu ainda a palavra para pedir desculpas aos acionistas da PT lesados com a fusão com a Oi. «Quisemos voar alto, mas o sol queimou-nos as asas», lamentou, terminando quase a chorar.