O ex-administrador da PT SGSP, Luís Pacheco de Melo, revelou, esta quarta-feira, em comunicado à CMVM, que renuncia ao cargo que detinha no Conselho de Administração da PT SGPS.
 
«Nos termos do artigo 248.º do Código dos Valores Mobiliários e da alínea a) do artigo 3.º do Regulamento da CMVM n.º 5/2008, a Portugal Telecom, SGPS S.A. (“PT SGPS”) anuncia que Luís Pacheco de Melo renunciou, a 18 de março de 2015, ao respetivo cargo de membro do Conselho de Administração da PT SGPS», lê-se no documento revelado às 20:21.

O ex-administrador financeiro da PT foi ouvido a 5 de março na Comissão de Inquérito ao BES e acusou diretamente Ricardo Salgado de, durante as negociações sobre as aplicações de quase 900 milhões de euros na Rioforte, ter omitido «informação relevantíssima».

Na mesma audição, Pacheco de Melo afirmou ainda que a decisão de investimento foi tomada pelo presidente da PT SGPS, Henrique Granadeiro. Segundo Luís Pacheco de Melo, Amílcar Morais Pires disse que «tudo estaria acordado» entre Henrique Granadeiro, Ricardo Salgado e Zeinal Bava