O Novo Banco vai ser supervisionado diretamente pelo Banco Central Europeu (BCE), de acordo com informação divulgada esta quinta-feira pela instituição, substituindo assim o BES na lista dos bancos portugueses diretamente supervisionados por Frankfurt, noticia a Lusa.

Novo Banco está para ficar, assegura Vítor Bento

O BCE publicou hoje uma lista em que refere quais os bancos que, a partir de novembro, serão diretamente supervisionados por si, atualizando informações anteriores.

Em Portugal, os bancos que passarão a estar sob a supervisão direta do BCE serão os já conhecidos Caixa Geral de Depósitos (CGD), BCP, BPI e agora o Novo Banco, em vez do BES, lembra a Lusa.

O BCE vai supervisionar diretamente os quatro bancos portugueses referidos devido à dimensão dos seus ativos, que na CGD é de entre 100 a 125 mil milhões de euros, no BCP de 75 a 100 mil milhões de euros, no Novo Banco de 50 a 75 mil milhões de euros e no BPI de 30 a 50 mil milhões de euros.

Por pertencerem ao Novo Banco, aparecem também na lista das instituições significativas o Banco Espírito Santo Açores, BES Investimento, BEST e Banco Espírito Santo et de la Vénétie (França).

A partir de novembro deste ano, no âmbito do mecanismo único de supervisão - uma das três 'pernas' da futura União Bancária -, o BCE vai assumir a supervisão direta dos principais bancos europeus, com os supervisores nacionais a ficarem com a competência pelas instituições mais pequenas, ainda que sob o controlo do BCE.