Termina esta sexta-feira à meia-noite o prazo para os emigrantes que subscreveram séries comerciais sobre ações preferenciais comercializadas pelo BES se pronunciarem sobre a solução proposta pelo Novo Banco para resolver o problema.

Esta solução comercial prevê a assinatura prévia dos clientes para que o Novo Banco e o Credit Suisse possam anular os veículos financeiros. Só depois será possível avançar com a proposta que garante pelo menos 60% do capital investido, assim como um depósito anual crescente a seis anos, que prevê recuperar no mínimo 90% do capital investido.

O Novo Banco começou a apresentar aos emigrantes em julho uma solução comercial, para reaver o dinheiro, investindo nos produtos Poupança Plus, Top Renda e EuroAforro. 

Quem não aceitar esta solução comercial vai continuar a ser dono de ações preferenciais que não têm qualquer liquidez no mercado. O Novo Banco não assume qualquer responsabilidade sobre a emitente destes títulos nem sobre a sua futura rentabilidade. 

  No total estão em causa aplicações no valor global de 720 milhões de euros.