O presidente do BES disse esta sexta-feira que a «pior coisa» que poderia acontecer a Portugal era ter de pedir um segundo resgate, afirmando que há esse risco se medidas significativas do Orçamento para 2014 forem chumbadas pelo Tribunal Constitucional.

BES regista prejuízos de 381 milhões de euros até setembro

BES reduz 94 trabalhadores em Portugal até setembro

«A coisa pior que nos poderia acontecer era um [segundo] resgate. Se algumas medidas significativas fossem chumbadas íamos caminhar para o resgate», disse Ricardo Salgado aos jornalistas na conferência de imprensa de apresentação de resultados do BES, que registou prejuízos de 381 milhões de euros até setembro.

O banqueiro disse ainda que este risco de chumbo está a criar «instabilidade nos mercados», já que, considerou, «ninguém entende muito bem como Portugal tem uma maioria parlamentar que aprova um programa de estabilização das finanças públicas e depois não consegue pôr em prática».

Ainda sobre a proposta do Orçamento do Estado, o presidente do BES mostrou-se preocupado com a capacidade de o Estado «conseguir controlar a despesa para o ano que vem».