Ben Bernanke, presidente cessante da Reserva Federal (Fed), banco central norte-americano, declarou esta quinta-feira que a instituição está preparada para combater os riscos financeiros criados por anos de uma política monetária ultra-expansionista.

«Penso que temos muitos mecanismos para agir nas taxas de juro e restringir a política monetária», afirmou Bernanke numa conferência em Washington, a duas semanas de deixar o cargo, sendo substituído por Janet Yellen a partir de 1 de fevereiro.

Bernanke rejeitou os argumentos dos que receiam que as grandes injeções de liquidez no sistema financeiro levem a um aumento dos preços.

«Convido os que afirmam desde há cinco anos que estamos à beira de uma inflação muito alta a olharem para os números da inflação anunciados hoje (1,5% em 2013)», apontou, na conferência organizada pela Brookings Institution.

Num balanço da ação da Fed durante e após a crise financeira de 2008, Bernanke reafirmou que a injeção de liquidez no sistema financeiro e ajuda a bancos em dificuldades foram «úteis», mas admitiu que passou muitas noites sem dormir na altura de maiores dificuldades.