O Banco de Portugal esclareceu que o Banco Espírito Santo (BES) detém um montante de capital «suficiente» para acomodar eventuais impactos negativos decorrentes da exposição ao Grupo Espírito Santo, tranquilizando os clientes em relação aos seus depósitos.

«Não existem motivos que comprometam a segurança dos fundos confiados ao BES, pelo que os seus depositantes podem estar tranquilos», escreve a instituição liderada por Carlos Costa, em comunicado, esta sexta-feira.

Passos Coelho diz que depositantes podem confiar no BES

O Banco de Portugal (BdP) esclarece, assim, que «tendo em conta a informação reportada pelo BES e pelo seu auditor externo (KPMG), o BES detém um montante de capital suficiente para acomodar eventuais impactos negativos decorrentes da exposição assumida perante o ramo não financeiro do Grupo Espírito Santo sem pôr em causa o cumprimento dos rácios mínimos em vigor».

De acordo com o BdP, o esclarecimento surge em face do comportamento «especialmente adverso» no mercado de capitais nacional decorrente da incerteza latente sobre a situação financeira do BES.