Amanhã abre oficialmente a época de resultados em Portugal e hoje o PSI20 acordou com ganhos ligeiros de 0,28% para 4,663.29 pontos, seguido por quase toda a Europa, à exceção de Madrid e Londres que abriram em queda.

A banca vai centrar a atenção dos investidores. O BPI, que na sexta-feira viu as ações suspensas na sequência da assembleia-geral que pretendia ditar o fim da blindagem dos direitos de voto na instituição mas acabou suspensa por 45 dias, apresenta amanhã resultados. E hoje sobe 0,23% para 1,119 euros, embora mostre sinais de descida.

Indefinido também segue o BCP, que revela as contas na quarta-feira. Abriu na linha de água mas já perde 0,99% para 0,020 euros. Mais animado o Montepio a ganhar 1,25% para 0,486 euros. Isto depois de, na semana passada, o banco ter alertado clientes e investidores – numa emissão hipotecária – de que não são ainda claros todos os riscos para a instituição das resoluções quer do BES quer do Banif.

Nas telecomunicações é a Pharol que dita o ritmo. Ganha 1,66% para 0,183 euros. Na passada semana os acionistas da brasileira Oi, da qual a Pharol detém cerca de 27% - direta e indiretamente – retificaram em assembleia-geral extraordinária o pedido de recuperação judicial. O que prossupõe agora que há um plano de recuperação da empresa, numa altura em que a imprensa dá conta de que há um conjunto de acionistas e investidores interessados em fazer uma oferta sobre a maior empresas de telecomunicações global no Brasil.

Na energia, a Galp que na abertura travou maiores ganhos no principal índice português já sobe 0,19% para 12,56 euros.

As maiores subidas vêm esta segunda-feira da indústria. Com The Navigator a valorizar 1,27% para 2,864 euros. A Semapa a crescer 0,92% para 11,13 euros e a Mota-Engil a disparar 2,19% para 1,724 euros. No retalho, dá cartas a Jerónimo Martins, a ganhar 1,21% para 14,245 euros, um dia antes de, também ela, apresentar resultados.