“Se um país reforma o sistema de pensões e depois muda de ideias todos os anos, então não há benefícios de curto prazo nenhuns”, afirmou Draghi, defendendo que não se trata de “dizer às pessoas que estão no Governo o que fazer, mas mais de um apelo à ação”.