Tal como era esperado o Banco Central Europeu manteve hoje a taxa de juro de referência inalterada - em 0% quando empresta aos bancos e em -0,4% nos depósitos em Frankfurt - e também o programa de compra de ativos, que tem vindo a executar ao ritmo de 80 mil milhões de euros mensais.

Os investidores aguardavam com alguma expetativa o desfecho da reunião do BCE e o discurso, posterior, do presidente Mário Draghi. Draghi continua pressionado a aumentar os estímulos à economia, numa altura em que a taxa de inflação nos 28 continua baixa e os crescimentos económicos são anémicos: 0,3% no segundo trimestre depois dos 0,5% nos primeiros meses do ano.

Mesmo assim, não é expetável que o presidente do BCE faça qualquer anúncio hoje, já que há expetativa que, antes disso, haja novidades no outro lado do Atlântico em matéria de subida de juros nos Estados Unidos da América.

"Esperamos que voltem a agir em dezembro, momento para o qual vemos espaço para mais um corte de taxas de juro, uma extensão do programa de compra de ativos por mais seis meses e para que o BCE também considere a possibilidade de comprar obrigações de bancos", disse Elga Bartsch, economista da Morgan Stanley, à Reuters.

Mário Draghi dará a habitual conferência de imprensa daqui a pouco mais de meio hora, 13:30 hora de Lisboa.