O presidente da Comissão Europeia saudou esta terça-feira a aprovação formal do mecanismo único de supervisão bancária, mas acrescentou que agora é urgente concretizar o outro grande pilar da união bancária: o mecanismo de resolução de bancos.

Pouco depois de os ministros das Finanças da União Europeia, reunidos no Luxemburgo, terem adotado definitivamente a legislação que cria o mecanismo único de supervisão para os bancos da zona euro, Durão Barroso comentou que se trata de «uma boa notícia» e afirmou que a Comissão Europeia prestará todo o auxílio necessário ao Banco Central Europeu (BCE), que terá a seu cargo a supervisão, para que o mecanismo, que classificou como o primeiro pilar da união bancária, comece a funcionar no próximo ano.

No entanto, indicou, «agora é urgente erguer o segundo pilar» da união bancária, designadamente alcançar um acordo final em torno do fundo e do mecanismo único de resolução bancária, e de um regime único de garantias de depósitos.

«Estas novas regras ajudarão a construir um setor financeiro estável, a restaurar condições de empréstimo justas na União Europeia e a garantir que são os bancos, e não os contribuintes, a pagar pelos seus próprios erros. Devemos aos nossos cidadãos mostrar resultados antes das eleições europeias de maio» de 2014, disse José Manuel Durão Barroso.