O número de empresas criadas no primeiro trimestre deste ano subiu 8,7% face a igual período de 2014, e os encerramentos recuaram 7,9%, de acordo com o Barómetro Informa de abril.

De acordo com os dados, foram criadas 11.646 empresas entre janeiro e março deste ano, mais 8,7% que há um ano, registando-se 3.603 encerramentos, menos 7,9% que no primeiro trimestre de 2014.

Também as insolvências diminuíram face a igual período, um recuo de 9,7% para 1.228.

Em todos os setores decresceu o número de insolvências, no entanto em número de processos, o retalho passou a ser o setor com mais insolvências.

A construção, que liderava as insolvências no ano passado, registou uma quebra de 21,4%.

A maioria dos nascimentos (52%) entre janeiro e março de 2015 são sociedades unipessoais, um acréscimo de 13% face ao mesmo período do ano passado, refere o Barómetro Informa, que monitoriza mensalmente os fenómenos mais relevantes do tecido empresarial português.

Os setores dos serviços (3.600), do retalho (2.007) e do alojamento e restauração (1.291) foram aqueles em que se assistiu à criação de maior número de empresas.

A criação de sociedades por quotas aumentou 6%, enquanto as sociedades anónimas recuaram 19%.

Relativamente ao setor exportador, o Barómetro Informa aponta que "num cenário de contração do universo empresarial, o número de exportadoras aumentou 21%" entre 2008 e 2013.

Num universo avaliado em 280 mil empresas em 2013, o número de empresas que apresentam alguma venda no mercado externo ascende a 47.763 empresas (16,9%, o que significa um aumento de 3 pontos percentuais em relação a 2008), refere.

O peso das exportações no volume de negócios total do universo empresarial cresceu de 17,3% para 22,6% entre 2008 e 2013.

As PME [pequenas e médias empresas] ganharam expressão. A percentagem de exportadoras aumenta com a idade das empresas e em todas as dimensões mas a maior subida regista-se nas pequenas empresas, adianta.

Os setores grossistas, telecomunicações e indústrias transformadoras são aqueles que mais aumentam o número de exportadoras, salienta.