A Autoridade dos Serviços Financeiros do Dubai impôs esta quinta-feira restrições ao ES Bankers, detido pelo Espirito Santo Financial Group (ESFG), que impedem a instituição de receber e de pagar depósitos e obrigam a manter e preservar os seus ativos.

A imposição da restrição foi considerada «necessária» nesta altura pela autoridade (DFSA, na sigla em inglês) devido à incapacidade de o banco do Grupo Espírito Santo (GES) com sede na Suíça, Banque Privée Espírito Santo, honrar compromissos contratuais com o ES Bankers Dubai.

Esta incapacidade estende-se ao reembolso dos depósitos devidos ao ES Bankers Dubai no normal curso dos negócios.

O não cumprimento das obrigações do banco suíço ¿ detido por José Manuel Espírito Santo ¿«comprometeu seriamente as operações e a solvência» do ES Bankers Dubai, refere o comunicado, citado pela Lusa.

O regulador refere ter já tomado algumas medidas devido «ao rápido desenvolvimento das dificuldades financeiras» do GES nos últimos meses, de forma a proteger os interesses dos depositantes e outros clientes do banco, entre as quais a impossibilidade de transferência de ativos do ES Bankers para outras sociedades do grupo.

A DFSA colocou também um gestor a atuar em substituição do Conselho de Administração do banco, com efeitos a partir de 11 de agosto, e suspendeu Ricardo Espirito Santo de funções, por considerar que o banqueiro «já não é uma pessoa adequada» para ser um administrador autorizado do banco.

O ES Bankers Dubai é uma unidade do Grupo Espirito Santo de gestão de patrimónios, subsidiária do Espirito Santo Financial Group, com sede no Luxemburgo.

No dia 03 de agosto, o Banco de Portugal tomou o controlo do BES, depois de o banco ter apresentado prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição em duas entidades distintas: o banco mau (um veículo que mantém o nome BES e que concentra os ativos e passivos tóxicos do BES e os acionistas) e o 'banco bom' (o banco de transição que foi chamado de Novo Banco e que concentra os ativos e passivos considerados não problemáticos).