Pode uma notícia ser o fator determinante para a insolvência de um banco? Ou o problema estará antes na falta de saúde e na falta de confiança no sistema financeiro?

É a questão fundamental a que procuraram responder, esta terça-feira, os convidados para um debate na 21ªHora da TVI24. Sérgio Figueiredo, diretor de informação da TVI, e Camilo Lourenço, jornalista que há uns anos anunciou as irregularidades que comprometiam o BPN, e também os deputados da Comissão de Inquérito ao Banif Cecília Meireles, Miguel Tiago, João Galamba, Carlos Abreu Amorim e Mariana Mortágua, foram os convidados em estúdio.

Ao longo dos últimos anos, os portugueses, bem como sucessivos governos e o Banco de Portugal assistiram ao colapso do BPN, à falência do Banco Privado Português, ao desmoronamento do Banco Espírito Santo e mais recentemente à resolução do Banif. Tudo isto com consequências para os contribuintes portugueses que já ascenderam a 14 mil milhões de euros.

Nunca como hoje o papel de um órgão de informação foi tão colocado no centro da discussão e tem sido alvo de controvérsia na Comissão de Inquérito ao caso Banif a propósito da notícia da TVI que uma semana antes antecipou o fim do banco madeirense.