Os portugueses retiraram quase mil milhões de euros dos depósitos bancários em agosto, o mês das férias por excelência, revelam dados publicados esta terça-feira pelo Banco de Portugal.

De acordo com o regulador, a queda registada em agosto segue-se ao recorde registado em julho, quando milhões de funcionários públicos e pensionistas receberam os subsídios, por decisão do Tribunal Constitucional.

Em agosto, os depósitos bancários interromperam assim a sequência de subidas, que durava há já seis meses, provavelmente para gastar nas férias.

Um dos fatores que também pode ajudar a explicar o menor interesse dos portugueses nos depósitos é a descida das taxas de juro oferecidas, cuja média recuou para 1,99% em agosto nas aplicações até um ano. Este é o valor mais baixo desde setembro de 2010, ou seja, em quase três anos.

De acordo com as contas do Banco de Portugal, as famílias resgataram 969 milhões de euros, passando a banca a contar com 132.073 milhões de euros de depósitos de particulares. Em julho, o recorde tinha sido de 133.042 milhões.