As remessas dos emigrantes portugueses a trabalhar em países lusófonos ultrapassou em outubro os 268 milhões de euros, devendo fechar 2013 com um valor superior ao do total do ano anterior: 289,3 milhões de euros.

De acordo com o boletim estatístico do Banco de Portugal, divulgado esta quarta-feira, Portugal recebeu 268 milhões de euros de portugueses a trabalhar nos países de língua oficial portuguesa, com um grande contributo dos 245 milhões de euros enviados pelos expatriados em Angola.

Por seu lado, os imigrantes desses países empregados em

Portugal enviaram para os seus territórios 245 milhões de euros, largamente alicerçados nos 207,4 milhões que os brasileiros enviaram para o outro lado do Atlântico.

O boletim estatístico hoje divulgado, com dados relativos a outubro, não permite fazer uma comparação direta entre outubro de 2013 e outubro de 2012 para os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), uma vez que apresenta apenas o agregado das transferências nos primeiros 10 meses do ano (de janeiro a outubro).

De acordo com os números totais dos primeiros 10 meses deste ano, os emigrantes enviaram para Portugal 2,44 mil milhões de euros, dos quais 754 milhões são oriundos de França e 568 milhões da Suíça, os dois maiores emissores, ao passo que os imigrantes enviaram 466 milhões de euros, com destaque para os 207,4 milhões enviados por brasileiros.

Olhando apenas para os países africanos lusófonos, constata-se que em todos, com exceção de Angola, já foi ultrapassado nos primeiros 10 meses deste ano a totalidade do valor enviado pelos emigrantes portugueses em 2012.

De Cabo Verde vieram 2,697 milhões de euros de janeiro a outubro, o que compara com 2,389 milhões em 2012.

Na Guiné-Bissau, os portugueses enviaram 436 mil euros até outubro (246 mil em 2012), em Moçambique as remessas valeram 5,607 milhões, contra 5,003 milhões em 2012, e em São Tomé e Príncipe, de janeiro a outubro, foram enviados para Portugal 553 mil euros, ultrapassando os 338 mil euros de 2012.

Angola representa a exceção: de janeiro a outubro os expatriados portugueses enviaram 254,8 milhões, ao passo que em 2012 tinham enviado 270,6 milhões.