As remessas dos emigrantes caíram 3,2 por cento em maio, enquanto as verbas enviadas pelos estrangeiros a trabalhar em Portugal caíram 4,6%, o que fez com que o saldo positivo para Portugal tenha piorado para 194 milhões de euros.

De acordo com os dados do Boletim Estatístico do Banco de Portugal, os emigrantes portugueses enviaram para Portugal cerca de 240 milhões de euros em maio, o que representa uma descida de 3,2% face aos 248,1 milhões enviados no mesmo mês do ano anterior.

Olhando para as verbas que os estrangeiros a trabalhar em Portugal enviam para o seu país de origem, em maio deste ano foram enviados 45,9 milhões de euros contra 48,2 em maio de 2013, o que mostra uma diminuição de 4,6%.

Assim se explica que a diferença entre as remessas que entram e saem de Portugal tenham sido menos positivas para Portugal: em maio de 2013, a diferença era favorável em 199,9 milhões de euros, mas em maio deste ano esse valor reduziu-se para 194 milhões, o que representa uma descida de 2,9%.

Os números divulgados esta segunda-feira pelo Banco de Portugal não contemplam as remessas enviadas por nenhum dos países africanos de língua oficial portuguesa em maio, sendo apenas apresentados os valores totais até maio, o que impossibilita a decomposição por país.

Os emigrantes portugueses no Brasil enviaram 2,4 milhões de euros em maio, quase duplicando o valor enviado em maio do ano passado (1,2 milhões de euros), mas ainda assim longe do valor enviado pelos emigrantes em França (84,1 milhões de euros) e na Suíça (55,7 milhões), os países que mais contribuem para o total das remessas enviadas para Portugal.