O Banco de Portugal concluiu 33 processos de contraordenação em 2013, tendo aplicado coimas de cerca de 500 mil euros, segundo o Relatório de Supervisão Comportamental hoje divulgado.

O ano passado, o Banco de Portugal (BdP) abriu 56 processos de contraordenação contra 23 instituições.

Os processos abertos em 2013 ficam acima dos 34 do ano anterior e são quase o dobro dos 29 de 2010. Já em 2008 e 2009 tinham sido abertos 11 e 10 processos, respetivamente.

Segundo o supervisor, o aumento das contraordenações face a 2012 deve-se ao «desenvolvimento do quadro legal e regulamentar que rege a atividade das instituições de crédito».

Ainda o ano passado, o BdP concluiu 33 processos de contraordenação (19 já vinham do ano anterior) contra 18 instituições.

Estes processos levaram à aplicação de «coimas no montante de cerca de meio milhão de euros», divulgou o supervisor e regulador bancário. Cada processo de contraordenação pode abranger várias infrações.