Os critérios para a concessão de crédito a Pequenas e Médias Empresas (PME) tornaram-se ligeiramente menos restritivos no segundo trimestre, segundo o inquérito do Banco de Portugal aos bancos sobre o mercado de crédito.

Segundo o supervisor bancário, «de um modo geral os critérios de concessão de crédito e as condições aplicadas aos empréstimos a empresas e a particulares permaneceram sem alterações significativas». No entanto, notou, houve «uma ligeira diminuição da restritividade no que se refere aos empréstimos ou linhas de crédito a pequenas e médias empresas (PME¿s)».

Já os empréstimos a grandes empresas permaneceram inalterados nos critérios de concessão.

Quanto ao crédito a particulares, os bancos disseram que não houve alterações nos critérios de aprovação, o que aconteceu tanto nos empréstimos para aquisição de habitação como nos empréstimos para crédito ao consumo e outros fins.

Do lado da procura de crédito, o inquérito revela uma estabilização no crédito a consumo e outros fins, quer nas empresas quer nos particulares. Já a procura de crédito à habitação, diminuiu, o que o Banco de Portugal relaciona com «as perspetivas menos favoráveis para o mercado da habitação, as despesas de consumo não relacionadas com a aquisição de habitação dos particulares e principalmente a deterioração da confiança dos consumidores».

O supervisor bancário diz ainda que este comportamento da procura já vem do primeiro trimestre e que a tendência se deverá manter.