As notas de 20 euros da nova série Europa vão entrar em circulação na quarta-feira, mas com novos elementos que dificultam a sua contrafação, depois do lançamento das notas de cinco e dez euros.

“A nota de 20 euros é a que tem mais contrafações apreendidas”, disse o administrador do Banco de Portugal João Amaral Tomaz, numa cerimónia em Lisboa para apresentação da nova nota, que vai ser lançada a partir de quarta-feira também em mais 18 países da Europa.

Além dos elementos de segurança já conhecidos, como o holograma, a marca de água e o número esmeralda, a nova nota de 20 euros vai ser mais resistente à falsificação por causa de uma janela com retrato no holograma que, observada contra a luz, torna visível um retrato da deusa Europa, observado na frente e verso.

Tal como aconteceu com as notas de cinco euros e de dez euros da série Europa, lançadas em 2013 e em 2014, não será necessário trocar as notas de 20 euros da primeira série por estas novas notas da série Europa, mantendo-se ambas as notas em circulação.

A nova nota mantém a cor dominante azul e o mesmo tamanho da anterior nota de 20 euros, mantendo o seu valor indefinidamente: “Mesmo depois de a nota [da primeira série] perder o seu curso legal, pode ser trocada [num banco] por um período ilimitado”, explicou o administrador do Banco de Portugal.

Muitos fabricantes e outros fornecedores de equipamentos que utilizam notas já adaptaram as suas máquinas e dispositivos à nova nota, mas o Banco de Portugal admite que possam surgir problemas.

“Não podemos garantir que todos os equipamentos estão aptos a receber a nova nota já” na quarta-feira, afirmou João Amaral Tomaz.

A nova nota de 20 euros foi apresentada pela primeira vez a 24 de fevereiro na sede do Banco Central Europeu (BCE), em Frankfurt, na Alemanha, e em Portugal a 16 de março na sede do Banco de Portugal, em Lisboa.